Trauma do Parto

M.O. (43 anos, comerciante) é uma aluna da TISE, e como outras pessoas, frequenta nossos cursos unicamente para o próprio desenvolvimento interior.
Durante o trabalho em um curso, foi pedido para avaliar a prioridade, quer dizer, perguntar para a Alma o que ó mais importante a ser trabalhado.A avaliação mostrou uma restrição na região do coração e tivemos uma forte sensação de rejeição.
Começamos o trabalho aliviando o medo que estava tomando conta dela. Quando se acalmou conseguimos perceber que a rejeição era ainda quando ela estava na barriga da sua mãe.
M.O. é primogênita e de origem japonesa, e o pai dela era e é ainda muito tradicionalista, portanto ele queria que o primeiro filho fosse um homem.Foi interessante ver como M.O. não queria nascer, sabia que encontraria um mundo que não a queria. Essa rejeição a marcou muito, ela nunca se achava boa o suficiente e carregava, inconscientemente, muita responsabilidade para demonstrar ao pai que, mesmo sendo mulher, era boa.Conseguimos desprogramar esse registro e ajudamos M.O. a vivenciar um parto tranquilo, sem medo de não estar a altura das expectativas dos outros mas simplesmente ser ela mesma.
Reequilibramos e harmonizamos os vários corpos deixando ela tranquila e serena.

Duas semanas depois ela nos contou como a vida dela mudou, a ansiedade e preocupação que a acompanhavam desapareceram, ela conseguiu melhorar a relação com o marido e também com a família toda. Ainda hoje ela nos agradece pela oportunidade que teve e porque agora conhece o que é a felicidade de viver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.